DOCTYPE HTML PUBLIC "-//W3C//DTD HTML 4.01 Transitional//EN" "http://www.w3.org/TR/html4/loose.dtd"> Cantinho do desabafo - UOL Blog

Cantinho do desabafo


22/06/2008


Casa nova

Galera, tô de casa nova! Vamos ver se lá eu dou um jeito na bagunça!!

http://carolgurgel.blogspot.com

 

 

Escrito por Carol às 20h13
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

19/06/2008


Amigo é coisa pra se guardar....

Ter amigos é essencial. Acho que a gente pode suportar diversas ausências nessa vida. Tem tanta gente que vive sem pai, sem mãe, sem filhos, sem marido, mas viver sem amigos, realmente não dá.

Eu sou uma pessoa de poucos mas bons amigos. Apesar da correria do dia-a-dia, dessa vida louca que me consome eu sempre, mas sempre faço questão de cultivar as minhas amizades.

Essas meninas da foto eu conheço há mais de vinte anos, são minhas irmãs, minhas companheiras, pessoas que eu posso contar em qualquer momento, com as quais eu não guardo segredo algum. Choro, dou risada, pago mico, tomo porre, me desespero, me surpreendo, me decepciono... Elas fazem parte de mim, da minha história, amigas de uma vida toda, irmãs de corpo e alma. Minhas confidentes, que me ouvem sem censura, sem repreensões, sem julgamentos ou preconceitos. Elas me entendem, nem que seja por um gesto, um olhar.

A amizade é um dos sentimentos mais puros que existe, desde que seja verdadeira, claro. Com amores, família, muitas vezes nós criamos expectativas, ilusões que não podem ser correspondias. Vc sempre espera uma contra-partida, ainda que inconscientemente. Eu não espero nada dessas minhas amigas porque tudo que eu preciso elas já me dão: compreensão.

O mais incrível de tudo é que somos pessoas completamente diferentes, com personalidades muitas vezes contrastantes, mas que se completam, se respeitam.

Nossa história não seria a mesma se não tivéssemos umas as outras, sempre caminhamos juntas, mesmo nas fases em que estivemos mais distantes.

Que delícia participar da vida de vocês, que delícia ter vocês na minha vida.

Minhas amiguinhas lindas,

AMO, AMO, AMO!!!!

 

 

 

Escrito por Carol às 16h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

17/06/2008


3 X 0

Faz tanto tempo q eu não falo sobre esse assunto, até porque não quero parecer repetitiva e hoje o meu foco já não é mais esse.

Mas tem certas coisas que acontecem a nossa volta que trazem a tona aquele sentimento adormecido, mas que quando desperta toma proporções inimagináveis.

Durante um longo tempo, principalmente no período em que eu estava grávida do Pedro eu defendi o parto normal com unhas e dentes, e chegava até a me sentir ofendida por quem pensasse diferente. A ignorância das pessoas me irritava de tal forma que às vezes eu perdia a linha e era até meio rude, me esquecendo que há alguns anos atrás eu tb fui vítima da ignorância, como ainda sou em diversos aspectos.

Mas depois de muito brigar e perceber que o desgaste não estava valendo a pena, que o universo das pessoas que se dispõem a ouvir, contestar, pesquisar, perguntar é muito restrito, resolvi deixar pra lá, me fazer de muda e desentendida, e guardar a minha revolta para mim. Mas tem horas que essa postura me faz querer explodir, gritar, é como se o espaço de tolerância do meu ser tivesse se esgotando, me sufocando de uma forma insuportável, dolorida por demais.

Pois bem, estou vivendo esse momento, buscando meu equilíbrio, exercitando ao máximo a minha paciência e meu sorriso amarelo, dissimulado!

Aqui no escritório tinha três colegas grávidas. Lógico que quando soube da gravidez passei para elas os sites e as listas sobre parto humanizado, mas tudo de uma forma bem leve, sem ficar pegando no pé. Só lancei a dica no ar mesmo. Nenhuma delas me deu qualquer retorno e eu também não perguntei nada mais.

O resultado disso tudo vcs já sabem: 3 gravidezes absolutamente saudáveis e 3 cesáreas, sendo 2 delas com dia e hora marcados!!!

O mais estranho de tudo é que durante a gravidez eu pude ouvir das três, em conversas informais, que elas preferiam o parto normal.

Explicações: n. 01 – ficou mais de duas horas com 7 cm de dilatação, corta!!! n. 02 – já ta com 39 semanas e até agora seu corpo não deu qualquer sinal, corta!!! n. 03 – o médico acha que o bb parou de crescer, e, mais uma vez, corta!!!

Nossa, isso me causou uma revolta, uma vontade de gritar... mas eu fiquei aqui caladinha e recebi a notícia dos nascimentos com um sorriso enorme camuflando a minha decepção.

É triste isso mas eu me rendo à ignorância, e olha que falo ignorância não no sentido pejorativo do termo!! Não vou mais perder meu tempo, um segundo sequer, tentando ajudar quem não quer ajuda, porque depois a frustração é só minha e aquela sensação de fracasso é inevitável.

Não tenho o dom do convencimento. Nenhuma das vezes que eu tentei interferir, vendo o desejo de uma mulher pelo parto normal, fiz a diferença. Isso é tão broxante que eu prefiro agora me abster e deixar cada qual seguir o seu caminho.

Só espero, do fundo do meu coração, que a ignorância dessas mulheres não tenha a mesma conseqüência que teve a minha ignorância, pois o preço que paguei vendo a minha filha, tão linda, por uma semana sozinha no leito da UTI, sem poder tocá-la, amamentá-la, acalmá-la, foi alto demais!!! Quisera eu ter tido ao menos um conselho, uma orientação durante a minha primeira gravidez.

Não condeno de forma alguma aquelas mulheres que optam pela cesárea, pois cada um é dono de seu corpo e sabe o que é melhor pra ele. O que me revolta é ver essa postura da classe médica do país em ludibriar as mulheres, as fazendo crer que terão um parto normal enquanto, na verdade, já sabem, desde o primeiro momento, qual será o destino daquela gravidez. Motivos para justificar uma cesárea não faltam, o que falta, isso sim, é conhecimento mínimo para contestá-los!

 

Ah, mudando completamente de assunto para não perder o costume, alguém conhece quem me ajude a configurar o meu blog? Alguém que entenda de HTML?? Como vcs podem perceber, eu tentei dar uma de self-made-woman e acabei piorando ainda mais as coisas. Valeu!!!

bjokas!!

 

Escrito por Carol às 13h47
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

12/06/2008


Menos um no caminho

Sei que andei sumida, pra variar a falta de tempo. Ontem foi a prova derradeira da minha pós, ou seja, tive que ficar estudando igual uma louca, nos horários mais improváveis do mundo, pra conseguir dar conta do recado. Agora, acabou!! Dois anos se passaram e eu superei mais essa etapa da minha vida. Ainda falta o pior, que é a monografia, mas vamos lá, um passo de cada vez, se a gente se focar só no ponto de chegada a desistência é quase certa porque os caminhos a serem percorridos são sempre longos, árduos, cheios de curvas, subidas e buracos.

Estou tão, mas tão feliz com mais essa conquista, que mal posso acreditar que consegui!!!!

De mais, a Lua está ótima, linda, maravilhosa, sem dores, levando tudo de forma positiva e com alto-astral, como sempre. Sua capacidade de extrair o melhor das coisas me fascina, me encanta, ela é uma guerreira, com uma força que mal cabe em si. Ai, que orgulho!!!

Bom, mudando de alhos pra bugalhos ontem aconteceu uma coisa muito legal, que me deu um ânimo danado e a esperança de que esse mundo ainda tem salvação, de que existem pessoas dignas, honestas, exemplos a serem seguidos.

Explico. Ontem na hora do almoço fui fazer a mão, chegando lá percebi que tinha perdido quarenta reais, tinha certeza que esse dinheiro estava na minha carteira, mas procurei, procurei, e nada. Fiquei triste, tristinha, porque perder dinheiro é o ó, né? Bom, mais umas das minhas distrações, pensei eu, deve ter caído em algum lugar.

Pois bem, de noite, quando cheguei no estacionamento da minha pós, já com aquele humor e nervosismo por causa da prova, o manobrista, do nada, me dá um envelope fechado. Qdo abri lá esavam os quarenta reais. Eu tinha deixado cair no chão do estacionamento no dia anterior, e ele, na maior honestidade do mundo guardou o dinheiro pra mim. Fiquei tão sem reação, perdida mesmo, e pensei: - Caraça, isso ainda existe?? Porque em um mundo tão ganancioso, movido pelo dinheiro e poder, todo mundo quer mais é tirar vantagem de tudo, levar o seu, e foda-se o resto!!!

Mas, felizmente, esse moço, tão simples e humilde, me mostrou que eu posso estar errada, que remanescem nesse mundo cão pessoas de boa índole, trabalhadoras, que só querem o que lhes é direito, nada além disso!!

Sei que é uma coisa boba, mas fiquei comovida de verdade porque achei um gesto lindo, que me fez ganhar o dia!!!

Falando em dia, parabéns a todos os namorados. Tem coisa mais deliciosa do que namorar? Ai, eu adoro!!!!!!

bjos

Escrito por Carol às 18h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

01/06/2008


Relato de uma pirueta desastrada

Luana sempre foi uma menina muito ativa, daquelas que nunca tiveram paciência de fazer aula de ballet. Seu negócio é correr, pular, dar piruetas. Não por menos escolheu como esportes o circo e a ginastica artística. Ela tem dom para isso, uma elasticidade incrível, um vigor que dá gosto de ver.

Pois bem, quarta passada foi a aula aberta de ginástica. Ela ficou eufórica, falando disso por semanas. No dia da aula, logo pela manhã, me ligou:

Mamãe, vc vai na minha aula, né?

-Claro que sim filha, já te disse isso.

-Promete?

-Prometo, serei a primeira a chegar.

Cinco horas em ponto saí do meu trabalho, passei nervoso no transito da 23, ai meu Deus, eu preciso chegar antes dela. Passei em casa, peguei o Pedro e fomos. 18 horas estava lá. Qdo ela me viu seus olhinhos brilharam tanto que iluminaram a sala como um raio de sol. A alegria dela por eu estar lá era algo descarado. Impressionante como essas pequenas coisas têm uma importância fundamental para eles.

Depois das primeiras demonstrações chegou a hora da estrela sobre as barras. Ela logo se precipitou: - Denize (a professora), posso ser a primeira?

-Pode sim Lu.

Ela nem esperou a professora montar a barra. Saiu correndo como uma rajada de vento e deu uma estrela. Perfeita. Mas a barra, que ainda não estava fixa saiu do lugar. Nunca vou me esquecer do seu olhar de desespero. Quando olho para o braço dela, ele estava pendurado, como se não mais pertencesse a seu corpo. Meu impulso inicial foi dar um grito. Não sei nem descrever o que senti na hora, como uma faca atravessando o meu coração. Não, algo mto mais dolorido. Respirei fundo e pensei: - Preciso transmitir calma pra ela, esse desespero não vai ajudar em nada. Saí correndo eu sua direção. Filha, calma, mamãe tá aqui, tá tudo bem, respira fundo. Imobilizaram o braço dela, sua expressão de dor era desesperadora. - Aperta minha mão filha, deixa eu sentir a dor por vc. Ela olhava para o bracinho e falava: - Mamãe, quebrou, o meu braço, tá torto. Eu juro que fechei os olhos 'várias vezes, precisava acordar daquele pesadelo.

Braço imobilizado, fomos para o hospital. Eu, ela, a professora e o Pedro, q estava tão assustado que não pronunciava uma só palavra. Eu estava tão descontrolada que nao tinha idéia da dimensão do problema. - Filha, a gente vai chegar no hospital, o médico vai colocar o seu braço no lugar e vamos voltar pra casa. - Tá bom mamãe, mas não quero ir para escola amanhã.

Enfim chegamos, corre para a ortopedia. Socorro, minha filha precisa de ajuda!! Qdo vi a expressão do médico ao olhar para o braço dela comecei a ter idéia do calvário que iríamos enfrentar. Ela gritava de dor, eu lá, impotente sem saber como ajudar, tentava acalmá-la, mas nada fazia efeito. Meu Deus, me passe essa dor, minha filha não merece passar por isso.

Depois da radiografia o médico me disse:

- Mãe, ela quebrou o cotovelo, a fratura foi muito grave, vamos mandá-la para a cirurgia.

Ao ouvir essa palavra eu desabei, só não caí no chão pq meu pai estava lá para me segurar. Como assim cirurgia?? Há menos de uma hora seus olhos estavam brilhando de alegria. Quem é vc? Tem certeza??? Me acorda, por favor!!!!

Nenhuma, mas nenhuma mãe merece passar por isso!!!!!

Eu não sabia o q fazer. Como vou entregar minha filha nas mãos de um plantonista desconhecido com cara de recém formado??? Liguei para o Ricardo (que estava de plantão). - Fala com o médico!!!!

Era uma cirurgia de emergência, o braço estava inchando, precisava reduzir o mais rápido possível. - Carol, não tem jeito, vc precisa passar traquilidade pra ela. Agora me diga, onde eu vou arrumar tranquilidade numa hora como essa. Não sei, mas encontrei. Engoli seco e passei a encarar os fatos. Liguei para alguns contatos a procura de um ortopedista para operá-la. Não encontrei.

Ela foi operada por um homem que eu nunca tinha visto na minha vida. Seu anestesista é um garoto que mais parecia o meu irmão mais novo. Eu não tinha saída, não tinha tempo, me senti uma ignorante, totalmente desarmada. Entreguei nas mãos de Deus.

Correu tudo bem, o Ricardo chegou em tempo de assistir a cirurgia. Ver minha filha entrando por aquela porta certamente foi o momento mais doloroso de minha vida. - Que Deus a proteja porque eu não fui capaz de fazer isso!!!

Ela colocou dois pinos no cotovelo, vai ficar com o gesso por 6 semanas e depois terá de enfrentar um longo período de fisioterapia. Teremos uma jornada difícil pela frente.

Agora o que mais me impressionou nisso tudo foi descobrir que eu criei uma guerreira!! Ela enfrentou tudo como uma adulta, seguiu todas as orientações do médico, é de uma disciplina que eu mesma não consigo crer. Como tenho o que aprender com a minha Lua, como ela é tão, mas tão melhor que eu!!

 Agora o susto já passou. Ela não sente dor, não reclama do gesso, dorme bem. 

Sei que isso faz parte da infância, que são acidentes que acontecem, especialmente com crianças tão ativas como a Lua. Mas eu sinceramente fiquei bem traumatizada, por mim ela pára com essas coisas e vai jogar xadrez!! Eu não tenho preparo para ver um filho meu sentir tanta dor, sou daquelas que se desespera, que em momentos como esses mais atrapalha do que ajuda. 

Espero que tudo passe logo e que minha princesa supere esse momento da melhor forma possível. Estou aqui do lado dela, lutaremos juntas por sua recuperação!!! 

 

 

Escrito por Carol às 02h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

26/05/2008


Revigorada

Por aqui tudo corrido como sempre. Eu tinha escrito um post sobre o fim de semana retrasado, mas o tempo passou e ele já expirou!! Enfim, tratava-se de um relato sobre um fim de semana em Campos do Jordão, cheio de aventuras, resumindo, maravilhoso.

A semana passou e eu acabei não postando, ficou pra trás.

Nesse findi fomos para a praia, consegui escapar dessa tela de computador e fiquei lá, totalmente alienada e desconectada. Delícia. Amei, amei, amei!!! O tempo estava perfeito, céu azul, muito calor, muita sombra e água fresca, vidinha mais ou menos que só!!!

As crianças como sempre se divertiram horrores. Pegamos um pôr-do-sol estonteante, daqueles que tocam o coração da gente, bem lá no fundo.

Mal vejo a hora de começar o meu curso, para eu poder registrar com mais precisão esses momentos tão marcantes!!!!

O difícil desses dias de dolce far niente é a volta à realidade. Dá uma canseira no corpo, demora pra pegar no tranco. Tanta coisa pra fazer que cansa só de pensar. Trabalho, mercado, pós, lição de casa, prova, etc...

Sem falar que não nos resta mais nenhum feriado nesse ano. Ninguém merece!! Pelo menos tem a vantagem de não ter mais desculpa para burlar a minha dieta, que sempre é deixada meio de lado nessas ocasiões. Aliás, comi demais nesse feriado, churrasco, sorvete, brigadeiro... passei foi longe da balança lá de casa... afinal o peso da consciência reflete bem nessas horas.

Ai, tb to com a cabeça a mil. Dia 11 é a prova final da minha pós. Dois anos se passaram muito rápido, e ainda tem aquele fantasma da monografia pela frente. Mas tô com a consciência pesada, não tive tempo de estudar como nos outros semestres, desde que mudei de emprego tempo é o que não me sobra. Vou tentar correr atrás nesses 45 do segundo tempo, ver o que dá pra melhorar. A sensação de que poderia ter feito melhor é algo que me aterroriza. Odeio, odeio!!! Mas agora não adianta lamentar, e sim tentar amenizar o prejuízo. Vamos ver no que vai dar, né?

Agora preciso ir separar o material para estudar em casa. Isso depois de colocar as crianças para dormir. Sem contar que amanhã acordo com o nascer do sol para me matar na esteira da academia!!! Socorroooooooooo!!!!

 

Escrito por Carol às 18h23
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

14/05/2008


Desatualizada

Visitando os outros blogs eu percebi o quanto esse meu cantinho está desatualizado. Devido a minha longa ausência me esqueci completamente como configurar esse blog. Queria fazer uma coisa legal, mais com a minha cara, mas não consigo e nem tenho tempo para fuçar e aprender. Tudo na minha vida corre contra o tempo, e isso me irrita demais. Não consigo fazer nada com calma, o que acaba, no mais das vezes, resultando em enormes frustrações de minha parte e naquela terrível idéia de que eu poderia ter feito melhor!! É sempre assim!!

Nem sei quando foi a última vez que não acordei atrasada e tive tempo de sentar e saborear meu café da manhã com a tranqüilidade que ele merece!!! Aprendi a comer rápido, sempre!!! E um longo banho quente, então?? Para mim, artigo de mais alto luxo!!!

Acho que essa cidade imprime um ritmo de vida que beira o insuportável. Eu me mudei de apartamento, estou morando em um lugar mais calmo, porém mais distante de tudo. Pelo menos fica no mesmo quarteirão da escola das crianças, o que facilita muito a minha vida!!!

Tem dias que eu demoro uma hora e meia para chegar no meu trabalho. Quantas coisas eu poderia fazer nesse intervalo?? Não gosto nem de imaginar.

Eu aprendi a amar São Paulo, de coração. Consegui depois de longos anos e de uma incansável insistência a apreciar tudo de bom que essa cidade infinita me oferece. Minha birra com esse “túmulo do samba” é coisa do passado, a crise passou, nos entendemos e agora estamos em lua-de-mel. Mas a paixão não me cegou não – jamais vou cair de novo nessa armadilha – e toda essa minha boa vontade não esconde as inúmeras desvantagens de morar nessa selva de concreto!! A falta de tempo é apenas uma delas.

Mas eu não tomo jeito mesmo. Ainda que sem tempo para fazer as coisas mais básicas da minha vida eu, muito atrevida, não me canso de assumir compromissos muitas das vezes plenamente adiáveis. Essa ansiedade louca que me persegue!!

Agora dei para me meter em um curso de fotografia. Na verdade foi um presente de aniversário, mas presente esse que eu mesma endossei.

É um luxo que eu sei que mais que mereço pq sinto muita necessidade de ter um tempo pra mim, de fazer algo que me dê um prazer.

Sempre quis fazer esse curso, a fotografia é um dos poucos ramos da arte com o qual eu me identifico. Não por não gostar dos demais, muito pelo contrário, mas sim por saber, infelizmente, que Deus não me presenteou com o dom da criatividade. Definitivamente não tenho sangue de artista correndo em minhas veias!! Isso, para mim é um pesar muito doloroso, mas como diria meu velho amigo chicó “sei não, só sei que foi assim”!!. Quem sabe com a fotografia eu possa curar essa minha frustração!!

 

 

 

 

Escrito por Carol às 18h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

11/05/2008


Luana e Pedro,

Tão diferentes e ao mesmo tempo tão parecidos. Ela calma, doce, loira, olhos puxados cor de mel, responsável, estudiosa, sensível, preocupada, dorminhoca, obediente, amiga, leal.

Ele agitado, alegre, expansivo, cativante, debochado, teimoso, cabelos negros, olhar profundo, manipulador, esperto, criativo, dispersivo, contestador.

Se entendem, se amam, se completam.

Dois seres tão pequenos, frágeis, dependentes, e capazes de irradiar um amor tão profundo, cortante , avassalador.

Ser mãe é enxergar o mundo com os olhos de uma criança. É redescobrir prazeres esquecidos, é viver cada dia como uma nova conquista, é admirar as coisas mais simples, como um belo dia de sol.

Obrigada por me apresentar um mundo mais inocente, mais esperançoso. Obrigada por me fazer sorrir todos os dias. Obrigada por me ensinar o amor incondicional. Obrigada por me fazer sentir importante, amada. Obrigada por me lembrar o quanto é gostoso comer pipoca-doce. Obrigada pelos beijos sinceros, pelos abraços apertados, pelo carinho despretensioso. Obrigada pelo bom dia, pela boa noite, pelo tchau, pelo volta logo, pela saudade verdadeira. Obrigada pelas noites mal dormidas, pelos dias intermináveis. Obrigada pelas lições de paciência, de compreensão, de compaixão.

Minha princesa, meu guri, vocês são o meu combustível de felicidade. Dois presentes, daqueles que a gente se encanta pela linda embalagem, mas se apaixona perdidamente pelo delicioso conteúdo.

Nesse dia sou eu quem deve agradecê-los, pois sem vocês jamais saberia o doce deleite de ser mãe, de ser feliz!!!

Amo, amo, amo!!!

Mamãe

Escrito por Carol às 19h46
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

09/05/2008


Dois é bom, três é demais!!!

Não Sô, o terceiro não veio. E nem vai vir!!! Já me sinto completa e plenamente realizada com o meu casalzinho (que agora nem ta mais tão inho assim). Mas outro filho está fora dos meus planos, definitivamente.

A responsabilidade de ser mãe é tão grande que eu procuro nem parar pra pensar nisso para não me desesperar. Sei que sou uma ótima mãe. Mas sei também que me sinto frustrada muitas vezes. Meu trabalho me consome, nessa minha profissão não tem meio termo, as pessoas te sugam mesmo, chupam até o caroço!!! E a conseqüência lógica pra tudo isso é a minha ausência. Queria demais ter mais tempo para passar com os meus pequenos, não queria que esse tempo fosse limitado a noites, finais de semana, férias e feriados. Queria poder levá-los para a escola, para a natação, queria poder fazer um almoço gostoso pra eles, enfim, queria mesmo participar de forma mais ativa na rotina deles, coisas do dia-a-dia!!!

Nunca pensei em deixar de trabalhar. Não seria feliz assim. Eu preciso da minha independência, preciso me sentir livre e dona de mim pois ninguém sabe o dia de amanhã. Mas infelizmente eu ainda não encontrei o ponto de equilíbrio necessário. Ainda trabalho mais do que gostaria.

Será que é pedir de mais um emprego meio-período que me pague o suficiente para ter uma vida legal? Tolice, claro que é!!!

Sendo assim, seria muito egoísmo meu ter outro filho e dividir ainda mais o pouco tempo que eu tenho com os meus dois. Não dá.

Fora disso eu fui mãe muito cedo. 20 anos. E claro que tal precocidade deixou algumas conseqüências na minha vida. Não fiz muita coisa que ainda quero fazer. Não me arrependo nem um pouco de nada, pelo contrário, agradeço a Deus por ter dado esse rumo para a minha vida pois tudo que eu sempre desejei foi ter uma família unida e harmônica. Agora preciso realizar outros desejos que ficaram um pouco esquecidos nessa correria de mãe-mulher-profissional. Melhor, não diria esquecidos, mas sim preteridos!!

Portanto caros e caras, nada de bebês lindos fofos e gordinhos. Quero agora curtir as minhas crianças (Luana está uma moça, linda de ver) e quem sabe os meus sobrinhos (ta difícil).

Ah, essa semana quase tive outro filho. Já tinha até nome Guismo. Um cãozinho Grifo de Bruxelas, mas não foi dessa vez. Para a imensa sorte do meu marido, ele já foi doado. Fiquei mal pq quando a gente escolhe um nome , começa a se apegar (nunca esqueci dessa lição do Mike nos Monstros heheh).

Ah, ta chegando o dia das mães. Eu não ligo mto não pois sei os reais motivos dessa data. Mas as crianças adoram preparar presentinhos, então ta valendo. Vamos passar o dia em Campos do Jordão, comer um fundue e comprar uns chocolates! Delícia!!

bjokas

Escrito por Carol às 15h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

08/05/2008


"Não tenho metas

Ou objetivos a alcançar.

Tenho princípios

E na companhia deles

Nem me pergunto

Aonde vou chegar."

 

Carlos Ayres Britto

 

Eu sempre tive uma dura dificuldade em impor metas para a minha vida. Na verdade, tudo meio que aconteceu por acaso, mais ou menos no jargão do “deixa a vida me levar”.

Sempre considerei essa característica um grande defeito meu. Na realidade, ainda considero um defeito, mas talvez nem tão grande assim.

Muitas vezes as metas engessam caminhos que poderiam ser mais flexíveis. Explico. Ao se buscar insistentemente alcançar certo objetivo podemos não raro passar de pronto por milhares de outras oportunidades que a vida nos presenteia, ora melhores, ora piores.

Se alguém hoje me perguntar, principalmente em termos profissionais, o que eu quero da minha vida. É um horror isso, mas eu não saberia responder.

Já me senti muito angustiada por ser assim, perdida, desiludida, enfim, todos os adjetivos negativos que couberem ao caso. Hoje posso dizer que ainda me incomoda mais do que deveria, mas nada que me tire a tranqüilidade.

Eu tenho princípios, tenho bem delineado o que para mim é certo e o que é errado. Muitas vezes não consigo agir conforme esses princípios, isso é verdade, mas sempre que erro tenho plena consciência disso, desde que, é claro, eu considere aquela atitude como um erro. Do contrário, difícil me convencer. Coisas de taurina!!!

Diante desse vou não vou sem fim espero chegar em algum lugar do qual eu me orgulhe.

Ter metas pode se tornar muito frustrante, nem sempre conseguimos realizá-las, disso todo mundo sabe. Não tenho medo do fracasso, como pode parecer em um primeiro momento. Tenho medo, isso sim, de me deixar cegar.

Por isso vou seguir o sábio conselho do nosso tão admirado ministro e poeta, vou seguir meus princípios, sem me preocupar onde assim vou chegar. Ufa, agora me sinto bem melhor!!!

 

 

 

Escrito por Carol às 10h16
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

28/04/2008


Mudanças no blog

As crianças estão lindas. Cresceram tanto desde o abandono desse cantinho.

Infelizmente não postarei mais fotos delas. É uma decisão que eu tomei diante de tantos fatos que ocorreram na minha vida. Percebi o quanto pode ser prejudicial expor a nossa privacidade da forma como eu estava fazendo. Tenho certeza de que 99,9% das pessoas que entram aqui são de bom coração, querem realmente participar da minha vida de forma positiva, torcem por mim, vibram com as minhas conquistas, lamentam minhas decepções. Mas eu acordei do conto de fadas. Deletei tudo da net. Não tenho mais orkut, não publico mais fotos da minha família.

Sei que esse blog também não deixa de ser uma exposição. Afinal, ainda pretendo deixar registrado aqui alguns "causos" do meu dia-a-dia. Mas a finalidade disso tudo é essa mesma, reduzir a palavras certos momentos da minha história para, mais tarde, poder recordar com mais fidelidade e precisão tudo aquilo que eu já vivi. Quero registrar o crescimento e a evolução dos meus filhos. Quero me conhecer melhor, observar as mudanças sempre tão esperadas e bem-vindas. Quero poder um dia ler isso aqui com aquela ponta de nostalgia e com orgulho de ter aprendido com os meus erros e também - por que não - com meus acertos!!!

Sendo assim, quem estiver interessado (se é q alguém vai me visitar depois de tanto tempo de abandono), posso enviar um link com as fotos das crianças, com as minhas fotos!!!

Por favor, me entendam e saibam que faço isso por convicção de ser o melhor a fazer. Sempre adorei esse cantinho mas me dá pavor de pensar que certas pessoas podem ter entrado aqui unicamente para bisbilhotar a minha vida e me desejar o mal.

Quase conseguiram. Faltou muito pouco mesmo. Mas eu sou taurina, teimosa, briguenta, não é tão fácil assim me derrubar!!!

Ah, quarta-feira passada foi meu aniversário, 28 aninhos!!! Fazia tempo que não curtia tanto assim essa data. Tanta gente querida lembrou de mim, foram tantos os recados carinhosos, os desejos de felicidade. Eu me comovo com isso. Sou carente, confesso... preciso de atenção! Mas com meus filhos ao meu lado eu me sinto completa, a pessoa mais amada desse mundo.

Ontem mesmo estávamos no mercado e, sem mais nem menos, o menor me falou: mamãe, você é linda! É a melhor mãe do mundo!!! Eu fiquei sem reação, foi uma coisa tão natural, nada de especial tinha acontecido, no momento da declaração estávamos empurrando o carrinho de compras na rampa, entrando no mercado. Eu soquei ele de beijos e abraços. Choreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!! Tem coisa melhor que isso?? Tem amor mais sincero?? Obrigada meu Deus, sou uma mulher abençoada por ter dois filhos tão maravilhosos!!!

Escrito por Carol às 17h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

25/04/2008


Retomando

 

2 anos, 21 dias e 2h 30min. Foi exatamente esse o tempo da minha ausência.

Não tenho nenhuma explicação, nem ao menos me lembro a razão do abandono. Simplesmente, parei.

Tanta coisa aconteceu nesse tempo. Não tenho a menor pretensão de fazer uma retrospectiva. O que me importa é o que virá agora. Certamente lembrarei de momentos que vivi nesse período, mas com certeza essa não é a intenção da minha volta.

Outro dia, lendo esse blog percebi o quanto de coisa legal que eu registrei aqui, quantos capítulos da minha vida foram eternizados pelas palavras. Confesso que reli momentos que já tinham há muito fugido da minha memória. Isso é triste. Esquecer a vida é muito triste. São os saldos dessa correria em que vivemos, onde, de tanta coisa para se fazer, não se faz nada direito, por completo.

Mas tudo bem, dois anos da minha vida dependerão somente da minha falha e gasta memória. Sem problemas, Foi uma escolha, e alguma razão (que não me lembro) teve para isso.

Mas voltei, não sei por quanto tempo, não sei com que frequência. Vamos deixar levar. Adoro esse cantinho, tava com uma saudade danada. Nem mais me lembrava da senha.

Por hoje é só. Tô morrendo de dor de cabeça, gripada, sem ânimo, com vontade de voltar correndo para a minha cama deliciosa, apagar as luzes.......

Bom estar de volta.

 

 

Escrito por Carol às 12h15
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

04/04/2006


Momento reflexão

 

 

Saberás que não te amo e que te amo
pois que de dois modos é a vida,
a palavra é uma asa do silêncio,
o fogo tem a sua metade de frio.

Eu amo-te para começar a amar-te,
para recomeçar o infinito
e não deixar de amar-te nunca:
por isso é que ainda te não amo.

Amo-te e não amo como se tivesse
nas minhas mãos as chaves da fortuna
e um incerto destino infortunado.

Este amor tem duas vidas para amar-te.
Por isso amo-te e não te amo
e por isso amo-te quando te amo."

Pablo Neruda

Escrito por Carol às 09h33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

31/03/2006


E agora José???

O ser humano é uma criatura contraditória por natureza.... somos capazes de passar horas, dias, anos, vidas, desejando alguma coisa, e qdo ela acontece...pumba!! bate aquele medão, aquela incerteza... uma sensação de vazio, de nostalgia!!! Eu, pelo menos, vivo passando por esses momentos... foi assim qdo eu me formei no colégio, qdo comecei o meu namoro, qdo fiz uma viagem super esperada, qdo passei na faculdade, qdo fiquei grávida, qdo meus filhos nasceram, qdo me formei.... e agora, nesse momento... minha despedida do meu primeiro emprego. Digo primeiro, pq considerando o conceito jurídico da palavra, não posso considerar estágios como emprego..... mas isso não impediu que o tal vazio se instalasse nessas ocasiões também!!

Bom, eu sou muito passional, me apego com grande facilidade a pessoas, lugares, momentos... e isso faz com que qualquer mudança se torne algo mais complexo pra mim... ainda que ela tenha sido tão desejada!!

Escrito por Carol às 11h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

29/03/2006


Voltei!!!

Depois de quase um mês de abstinência, eu voltei!!! Senti saudades desse cantinho, mas realmente me faltou tempo para aparecer por aqui!!!

Bom, várias coisas acontecendo ao mesmo tempo..... estou saindo do meu emprego! Na verdade eu já havia pedido demissão há dois meses, cumpri meu aviso prévio e fiquei mais um mês para ajeitar as coisas... nesse último mês realizei o meu grande sonho de consumo: trabalhar meio período!! Foi maravilhoso!! Quem me dera pudesse sempre ser assim.... mas não vou ficar me lamentando, afinal de contas tenho que agradecer por ter tido essa oportunidade, ainda que por tão curto espaço de tempo!

Bom, provavelmente vou ter uma ou duas semanas de férias antes de começar no meu novo trampo.... mas estou muito feliz com essa mudança, e tenho certeza de que ela será para melhor, em todos os aspectos!!

Como é bom iniciar uma nova etapa da vida, cheia de incertezas e expectativas... fazia tempo que eu não sentia esse friozinho na barriga.... torçam por mim!

As crianças estão cada dia mais lindas.... ontem o Pedro viu um machucado no meu pé e disse: “Tá dodói? Pedo cuida da mamãe”!!  Ai, ai...

 

 

Crianças na praia... quanta bagunça!!!

Escrito por Carol às 11h06
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]
 

Perfil

Meu nome é Caroline, tenho 28 anos, sou mãe, mulher, profissional e estudante!! Não sei como nem quando terei tempo para também exercer a minha função de blogueira!! Criei esse espaço há três anos atrás para registrar pensamentos, fatos, relatos, desabafos, enfim, para escrever de tudo um pouco. Abandonei esse cantinho por um longo tempo, mas agora estou de volta. É o meu passatempo mesmo. Nenhuma pretensão.

Sejam bem-vindos!!

Histórico